Assistente de produção denuncia pastor da Universal por racismo

Com o apoio do pai e advogado Claudio Anderson dos Santos, ela conseguiu recuperar as gravações que comprovam a conversa e decidiu levá-la à polícia ontem, mesmo dia em que foi agredida verbalmente. 

0 58

Uma assistente de produção de 23 anos condenou o comportamento racista em um ambiente de trabalho do pastor Lázaro Augusto da Rosa da Igreja Universal. A denúncia surgiu depois de Ana Clara da Mota Santos ter ouvido a sua mensagem: “Ana, Ana, tens de passar a ferro”.

Segundo ela, a fala aconteceu durante a gravação de um show em Belo Horizonte.

Com o apoio do pai e advogado Claudio Anderson dos Santos, ela conseguiu recuperar as gravações que comprovam a conversa e decidiu levá-la à polícia ontem, mesmo dia em que foi agredida verbalmente.

A polícia que investiga o caso ainda está analisando o enquadramento do insulto racial. Universal falou.

No momento em que ela falou, ela começou a chorar e a equipe teve que parar o show, de acordo com o assistente de produção. Depois, ela disse que foi levada para uma sala, em uma reunião secreta, para encobrir o caso e disse que “se ela for à delegacia vai ser um grande problema”.

Anna Clara disse que o desejo de justiça superou o medo e a possibilidade de perder o emprego, principalmente porque, desta vez, ela pôde atestar isso porque “nunca fomos levados a sério”, disse ela em entrevista por telefone.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Read More